RSS

Arquivo da categoria: peixe

Filé de Tilápia ao Molho de Alcaparras e Purê de Banana da Terra

 

_DSC8003

Pois é pessoal, quase cinco meses se passaram sem novidades por aqui…. 

Acho mesmo uma pena essa ausência, e peço desculpas, mas a vida é mesmo corrida, e as vezes, infelizmente, as prioridades mudam. Porem, eu sempre volto.

Não vou nem entrar em detalhes, mas uma pós-graduação e algumas viagens se juntaram, e deu no que deu.

Enfim, volto com uma receita muito fácil de fazer. Um clássico e que faz vista. Um filé de tilápia deixada numa marinada de capim-santo, raspas de limão, pimenta-do-reino e tomilho, com um molho de alcaparras com manteiga e um purê de bananas da terra, que pode ser substituída por qualquer banana.

Vamos lá!

Filé de Tilápia ao Molho de Alcaparras (2 pessoas)

4 filés grandes de Tilápia, creio que deu uns 500g

4 colheres de sopa de alcaparras

3 colheres de sopa de manteiga

2 talos de capim-santo

4 galhos de tomilho

Raspas de 1 limão

Sal a gosto

Pimenta do reino a gosto

Reitre as alcaparras da salmoura, lave-as e e deixe-as de molho em água filtrada por uma hora para retirar o excesso de sal. Não deixe muito mais do que este tempo porque elas podem perder o sabor.

Tempere os filés com o capim-santo, o tomilho, as raspas de limão, o sal e a pimenta e deixe de molho por 1 hora. Grelhe-os com um tiquinho de azeite.

_DSC7996

O molho de alcaparras é só derreter a manteiga com um fio de azeite em uma frigideira e acrescentar as alcaparras até aquecê-las. Espalhe o molho por cima dos filés grelhados.

Purê de bananas da terra (2 pessoas)

2 bananas da terra (podem ser substituídas por prata ou nanica, mas não fica igual)

1/2 copo de leite

1 fio de mel

1 colher de chá rasa de canela

1 pitada de sal

1 colher de sopa generosa de manteiga

Cozinhe as bananas até ficarem macias. Passe no processador de alimentos ou no mixer até virar um purê. Pode ser feita no liquidificador? Sim, mas tem que ser na tecla pulsar, e com muita paciência, pois é conteúdo grosso.

Leve este purê a uma panela e acrescente o leite e a manteiga, o fio de mel, a canela e uma pitada de sal, até soltar ligeiramente da panela. Sirva imediatamente.

Observe se precisa acertar as quantidades, pois o tipo e o tamanho das bananas interferem no sabor, ok?

Servi com uns shiitakes refogados na manteiga, temperados com sal e pimenta-do-reino. Um espumante gelado também nos acompanhou. Como pode ser visto abaixo…

_DSC8004

Espero que gostem!!!!

Bj grande.

Téia.

Anúncios
 
6 Comentários

Publicado por em 04/08/2013 em peixe, prato principal

 

Torta de Atum Light

Cof, cof, cof….Tirando a poeira aqui do banquetes e lanhchinhos…cof, cof…

Well, após uma longa e maravilhosa férias em Londres, uma super arrumação na minha casa, muito trabalho acumulado que teve que ser posto em dia (ainda estou no processo) e uma dieta super necessária e que ainda se manterá por alguns meses, ressurjo.

Estava com muitas saudades de todos….

Tenho algumas receitas que fiz ainda antes do regime e agora começo a ver um mundo um pouco diferente com as receitas lights e diets, então, vou tentar intercalar as guloseimas com as comidas mais leves.

Quem sabe agora finalmente consigo postar as viagens, já que a cozinha estará mais devagar? Então, não se preocupem assuntos e receitas não faltarão por aqui, ok?

Vamos a receita? Ela é bem antiga, faço há anos, foi minha mãe que me passou e eu a acho deliciosa, super fácil e não parece light, embora seja. Fica molhadinha e bem aromática. Aproveitem.

2 latas de atum na água

4 fatias de pão de forma light (pode ser integral)

1/2 copo de leite desnatado

3 tomates médios picados em cubos

1 cebola média picada em cubos

100g de ervilha

150g de palmito picado em cubos

2 ovos

1 colher de chá de margarina

1 colher de sopa de cada de salsinha, cebolinha e coentro

1 collher de chá de sal

1 colher de chá de pimenta do reino

Em uma vasilha coloque o leite e molhe o pão. Reserve.

Misture os tomates, cebola, palmito, atum, e o cheiro-verde. Acrescente o pão amassando com um garfo.

Bata os ovos como para omelete e inclua o restante dos ingredientes.

Leva ao forno pré-aquecido e asse em fôrma untada por mais ou menos 30 minutos ou até ficar levemente dourada por cima.

Bye e até a próxima.

Bj a todos.

Téia

 
12 Comentários

Publicado por em 22/04/2011 em lanchinhos, peixe, salgado, tortas, Uncategorized

 

Filé de Pescada Amarela em Crosta de Gergelim Colorido com Molho de Teriyaki e Shimeji na Manteiga

Tenho adoração por comida com influência oriental e esta aqui atende perfeitamente a este conceito: leve, aromática, agridoce e crocante.
 
Segue uma receita very romantic, daquelas que aproximam as pessoas pela delicadeza e riqueza de aromas.
 
Muito fácil de fazer, comprei o molho de teriyaki pronto, porque estava com muita pressa e faminta, mas já fiz em casa de outra vez, e usei a receita da querida Karen do Kafta na Praia, receita aqui.
 
Não tem receita portanto, temperei os filés com sal e pimenta do reino, passei os filés de pescada em uma clara de neve levemente batida com um garfo e rolei no gergelim preto e vermelho (presente da minha amiga linda Glau do Quitandoca e do Madames na Cozinha).
 
Usei a pescada amarela e ficou ótimo, mas pode ser usado perfeitamente, pois já usei, o salmão, o atum e o robalo.
 
 
Grelhei em uma frigideria com um pouco de manteiga e um fio de azeite.
 
 
Esquentei uma xícara grande do molho teriaki e coloquei uma colher de chá de maisena, porque apesar de saboroso, achei um pouco ralo.
 
 
Passei o shimeji na manteiga e temperei, enquanto fritava, com sal e pimenta-do-reino.
 
 
Coloquei o molho por baixo, depois o peixe e servi com o shimeji e arroz branco.
 
Ah, a vida pode ser boa!!!
 
Bj a todos.
 
 

Bacalhau ao Creme para uma Feliz Páscoa

 


Este bacalhau é originalmente igual à Casquinha de Atum que já postei
aqui.

 
Fiz algumas alterações, bem pequenas, (estão na receita em itálico) e trouxe aqui para vocês como sugestão para a sexta-feira da paixão ou para a Páscoa. Fica divina, e é fácil de fazer, ainda dá tempo para amanhã, leva no máximo 30 minutos. Go, go, go…
 
Todo mundo gosta desta receita, creio que por ser cremosa e substanciosa. 
 
Servi com uma saladona de maçãs, cenoura, passas, presunto, alface e queijo gorgonzola.
 
Desejo a todos que veêm me visitar uma Páscoa maravilhosa, cheia de amor, fraternidade, alegrias, comidas deliciosas e muito chocolate, claro…
 
 
Receita:
 
Ingredientes (6 pessoas):
 
400g de bacalhau desfiado grosso e dessalgado
2 cenouras raladas
1 cebola ralada
2 tomates picados
2 colheres de sopa de manteiga
2 xícaras de leite quente
5 colheres de sopa de farinha de trigo
1 colher de chá de noz moscada
1 garrafa pequena de leite de coco
meia xícara de biscoito cream cracker esmigalhado
meia xícara de queijo parmesão ralado
1/3 de xícara de côco ralado seco
sal a gosto.
 
 
 
 
Doure a cebola em uma colher de manteiga. Acrescente o tomate, a cenoura e o bacalhau e cozinhe por cinco minutos. Reserve.
 
Em outra panela derreta a outra colher de manteiga e acrescente a farinha de trigo até dourar. Aos poucos acrescente o leite quente e o leite de coco, junte a noz moscada e sal a gosto, até virar um creme.
 
Junte o biscoito, o queijo e o côco ralado em uma tigela pequena até ficar bem misturado.
 
Agora junte o refogado de bacalhau com o creme acima. Coloque numa tigela refratária com a mistura do queijo+biscoito+côco misturados por cima.
Leve ao forno prè-aquecido (200º C) por 30 minutos ou até dourar.
 
Bj a todos.
 
 
16 Comentários

Publicado por em 10/04/2009 em bacalhau, côco, entrada, peixe, prato principal, salgado

 

O Melhor do Chile

As férias já acabaram há duas semanas, mas eu ainda não entrei no meu ritmo normal. Preguiça, muita preguiça….
 
Conforme prometido, coloco aqui um breve relato sobre os melhores lugares, comidas, bebidas, passeios e impressões sobre o Chile.
 
Ficamos 10 dias, sendo 3 em Viña del Mar cidade litorânea e o restante na capital Santiago.
 
Viña é uma cidade charmosa, florida e aconchegante, mas apesar da vista do mar, esta da foto abaixo, que víamos da janela do nosso quarto, faz frio, o vento é gelado, não dá para curtir como aqui no Brasil, mas valeu a pena conhecê-la. 
 
 
 
Aqui em conhecemos – o restaurante mais charmoso  – com uma comida refinada e aconchegante, com uma execução e apresentação perfeitas.
 
Delícias del Mar
 
 
 
 
 
 
Já Santiago é moderna, contemporânea e bem mais quente, totalmente rodeada por montanhas, aliás, a Cordilheria dos Andes.
 
 
 
O Melhor Passeio – Vale Nevado – Cordilheira dos Andes
 
Viagem de 2 horas de ônibus com lindas montanhas. Este é o ponto mais perto da neve que podemos chegar, afinal estamos no verão. Olha que visual lindo…
 
 
Depois, passeio de teleférico e almoço maravilhoso, totalmente surpresa, estavamos esperando um lugar simples, mas o restaurante é sofisticado e a comida deliciosa.
 
Frango super macio com lulas. Extra diferente!!!
 
 
Sobremesa: Mousse de chirimoia, fruta chilena, lembra de longe a graviola, gostosa e diferente.
 
 
O Melhor Restaurante Gourmet
 
Astrid y Gastón
Entradas e peixes divinos, sabores inesquecíveis, ambiente lindo e atendimento refinado. A sobremesa foi o melhor tiramissu que já comi, derretia na boca. Dizem ser o melhor e mais caro restaurante de Santiago. Eu só posso concordar. Daqueles que nós lembramos para o resto da vida. Bairro da Providência.
 
 
 
 
 
 
 
A Centolla – O fantástico carangueijo do Pacífico
 
 
 
 

Carne suculenta, adocicada e o preço alto vale cada centavo. Não deixem de provar, aparece nos sonhos….
 
A melhor sorveteria, Munchi’s, fica no shooping Arauco. Fomos em mais duas que são muito famosas, e não gostamos de nenhuma, em compensação, esta arrasou.
 
 
 
Eu tomei sorvete de doce de leite e o marido de menta e chocolate e super chocolate. Cremoso e com gosto forte do ingrediente.
 
 
 
Os melhores vinhos, provados na visita à Vinícula ConchoyToro
 
O famoso Merlot Casillero del Diablo
O fresquíssimo, frutal e suave Chardonnay Amélia
E o nosso preferido pela originalidade, cremosidade e aromático Shiraz Rosé também Casillero
 
 
 
 
A entrada mais degustada, e uma de nossas preferências em frutos do mar, há bastante tempo, o conhecido Ceviche, comemos em quase todos os restaurantes citados aqui
 
 

 

 

O restaurante revelação – Asian Bistrô, fica no shooping Boulevard, mais conhecido como Arauco
 
Comemos esta carne macia, com verduras e aji, pimenta chilena. Divino!!!
 
 
 
E a sobremesa, três tipos diferentes de Creme Brulè – Café, Côco e Chocolate
 
 
 
Bom, estas foram as melhores experiências, e houveram outras ótimas também, mas não dá para postar tudo. Concentrei-me nas gastronômicas, afinal este é um blog predominantemente culinário.
 
Espero que gostem, e se forem ao Chile, aproveitem as dicas. Foram feitas para você com todo o nosso carinho.
 
As lindas fotos são todas do marido Milton Moraes. Sem falsa modéstia, ele é um fotógrafo muito talentoso…
 
Bj a todos.
 
Téia.
 

Receitas a Pedidos – 4ª da série – Bacalhau com Três Purês de Batatas e Pimentão Assado

Esta receita é digna de um banquete. Modéstia a parte, claro. Hehehe…

Ela é uma sugestão para um colega de trabalho muito querido, que está com um bacalhau mofando no congelador, esperando uma receita aqui do blog. Fala sério, este blog está muito chique, né?
A referida receita leva purê de batata-doce, batata-inglesa e batata-barôa, camadas de bacalhau e um pimentão vermelho assado delicioso.

É um bocado elaborada, por isto, façam em um dia de muita inspiração, quando quiserem agradar muito ou arrasar na ocasião. Na receita dou umas dicas para agilizar um pouco o preparo, porque hoje em dia, tempo, realmente, é dinheiro.
Foi a ganhadora de um concurso de melhor receita de bacalhau, há alguns anos atrás, para a Páscoa, se não me engano, do Fantástico.
Vitória merecida ficou delicioso, colorido, diferente e requintado.

Alterei a quantidade de alguns ingredientes, inclui apenas 2 a mais e utilizei alguns na versão light, mas foi só.
Ingredientes (6 pessoas):

Bacalhau e purês:
1,5 kg de bacalhau cozido, sem pele, sem espinhas e dessalgado
600g de batata doce
600g de batata inglesa
600g de batata barôa
1 vidro de leite de côco (usei o light)
2 e 1/2 caixinhas de creme de leite (usei o light)
100ml de de leite integral (ou 1/2 copo) (não tinha na receita)
sal e pimenta-do-reino a gosto

Pimentão:
3 pimentões sem pele
3 dentes de alho picados
3 colheres de sopa de azeite
sal a gosto
Cobertura:

1/2 xícara de queijo ralado (não tinha na receita)
1/2 xícara de farinha de rosca

Modo de preparar o pimentão

Leve o pimentão ao forno quente para assar. Aos poucos o pimentão começa a soltar a pele, tire do fogo e descasce os pimentões. Corte em tirinhas, tempere com o alho, o azeite e deixe na geladeira para pegar gosto por pelo menos 1 hora. É mais ou menos o tempo que leva para você preparar o bacalhau e os purês. Por isto, faça primeiro esta fase. Reserve.
DICAS:

1. Eu coloquei os pimentões diretamente na boca do fogo, com um garfo comprido, rodando, até eles ficarem pretos, passei na água fria da torneira esfregando com os dedos e a pele sai imediatamente. Reserve.
2. A receita diz para deixar de um dia para o outro, sinceramente, não vejo necessidade, ficou ótimo assim. Caso tenham tempo para isto, fiquem a vontade, claro.
Modo de preparar o bacalhau e os purês

O bacalhau já deverá ter sido desalgado, de um dia para o outro, trocando a água a cada 6 ou 8 horas. Desfie-o grosseiramente e tire as peles e as espinhas. Refogue, rapidamente (aproximadamente por 5 minutinhos), com 3 colheres de azeite, pimenta-do-reino a gosto.

Cozinhe em água e sal, separadamente, os três tipos de batatas. Passe-as no espremedor, também separadamente. Nas batatas doce e inglesa, acrescente meio vidro de leite de côco e 1 caixinha de creme de leite em cada, batendo bem com um batedor manual (fuet). Na batata barôa, acrescente 1/2 caixinha de creme de leite e 1/2 copo de leite integral, bata bem com um batedor manual. Verifique o sal. Não precisa levar ao fogo novamente, desde que o acréscimo dos liquidos sejam feitos enquanto as batatas estajam quentes. Vão ficar 3 purês de cores diferentes e lindas (olha na foto que bonitinho). Reserve.

Cobertura:

Junte o queijo com a farinha de rosca. Reserve.

Montagem:

Unte uma forma que vá para o forno, com azeite e farinha de rosca. Coloque uma camada de batata inglesa, 1/3 do bacalhau e metade do pimentão jogado por cima. Coloque uma camada de batata doce, 1/3 do bacalhau e metade do pimentão. Reserve algumas tirinhas de pimentão para enfeitar. Coloque uma camada de batata barôa e 1/3 do bacalhau. Acrescente a cobertura e leve ao forno prê-aquecido por 20 minutos. Enfeite com as tirinhas do pimentão reservado. Como eu tenho maçarico culinário, fiz umas tirinha queimadas, ficou bonitinho. Olha aí nas fotos as fases. Sirva bem quente.

Ufa, cansei só de escrever. Rsss…
Prometo que apesar de detalhada não é difícil e vale a pena o esforço.

Bj a todos.

 
 

Robalo ao molho de laranja e risoto de damasco e brie

Este prato foi para agradar a mim e ao marido, em um daqueles momentos românticos. Gostamos muito de peixe (bem preparados, lógico) e de qualquer comida que seja agridoce. O molho realçou o robalo que é deveras delicado, e o risoto combinou perfeitamente o doce do damasco com o sal carregado do queijo brie. A idéia do peixe peguei no livro Bistrô da Alice, já citado antes, só que ela usou a tilápia, que também adoro, e empanou, aí já não gosto. Metida que sou, claro, fiz algumas alterações, o risoto só adaptei os ingredientes ao risoto “basicão”.

Um amigo tinha dado a idéia para fazermos o risoto, e um peixe, ficou enrolando, mudou de cidade, então resolvi tentar. O provador oficial (o marido) adorou e participou. Ele fez uma entrada que estava d-e-l-i-c-i-o-s-a, cuscuz marroquinho com frutas secas envolto em beringela. Ah, e fiz também de sobremesa, o fudgê da Simone do Chocolatria, em uma fôrma de coração. Estas duas posto já, já…

Bom cardárpio para casais apaixonados…

Robalo ao molho de laranja

Ingredientes (para 4 pessoas):

800g de filé de robalo
sal e pimenta-do-reino a gosto
1 colher de chá de manteiga
1 fio de azeite

Tempere os filés com o sal e a pimenta. Doure-os em uma frigideira na manteiga e azeite. Mantenha aquecido.
(Depois vou contar como faço isto).

Molho:

1 colher de sopa de manteiga
500ml de suco de laranja
2 colheres de geléia de laranja (como não tinha em casa, substitui por 5 gotas de essência de laranja e 1 colher de sopa de raspas de laranja)
2 colheres de vinagre de maça ou de arroz (usei o de vinho branco)
50ml de caldo de peixe
sal e pimenta-do-reino a gosto
1 colher de chá de mostarda
1 colher de sobremesa de maisena (não tem na receita, acrescentei para ficar aveludado)

Derreta a manteiga e misture a geléia (ou a essência e as raspas), o suco, o vinagre, o caldo, a mostarda e a maisena. Deixe reduzir e engrossar até virar um creme fininho.

Sirva quente sobre o robalo.

Risoto

Ingredientes:

4 xícaras de chá de arroz arbóreo
700ml de caldo de galinha
1 cebola bem picadinha
1 xícara de vinho branco seco
2 colheres de sopa de manteiga
1 fio de azeite
200g de damasco laminados
150g de queijo brie

Derreta a manteiga junto com o azeite e frite a cebola até ficar transparente, em fogo baixo, juntar o arroz e deixe fritar por uns 3 minutos. Junte o vinho, mexendo sempre, até evaporar boa parte, acescente aos poucos o caldo até ficar “al dente”, neste momento inclua os damascos e o brie e jogue a última parte do caldo. Sirva em seguida.

Dicas:
1. Quando fiz o curso de risotos, o professor falou que o risoto não espera os convidados, os convidados é que esperam o risoto. Achei ótimo, avisem às visitas. Rsss…Para não causar desconforto a eles, faça o cozimento antecipado, depois de ficar al dente, deixe bem espalhado na panela, e vá recebê-los, na hora de servir, acrescente, então, mais caldo, o damasco e o brie;

2. Agora é sério, o momento certo para adicionar o caldo é quando começar a “chiar”, vai deixá-lo cremoso;

3. Nunca lave o arroz para risoto!

4. Mexa o tempo todo, é isto que garante a textura cremosa. Então, não adianta, risoto é comida carente, fique ao lado da penela o tempo todo.

Bon apetit!