RSS

Arquivo da categoria: cozinha amiga

Biscoitinhos de Parmesão, Orégano e Pimenta Calabresa

Amigos:

Ando com muita vontade de comidas reconfortantes, como biscoitinhos, bolos e bolinhos.

Quando penso assim, penso na fôfa da Glau “Quitandoca“. Só para vocês terem uma idéia, fiz três receitas dela só esta semana. Comecei com esta aqui, e ficaram muito gostosos, crocantes e aromáticos, sem contar como é rápido e fácil.

E então, em sua homenagem coloquei os biscoitos em potes coloridinhos e lindinhos. E Miltão tirou fotos lindas. Obrigada aos dois.

Rendeu um montão, fiz com cortadores pequenos e deu umas oitenta unidades. Não se enganem, é muito fácil comer esta quantidade….cuidado aí, em? Eu fui comendo em bocadinhos, de 5 em 5 e pensando como comida faz a gente feliz…

Fiz igualzinho e deu super certo.

– 340g de farinha de trigo
– 100g de manteiga em temperatura ambiente
– 1/4 de xícara (café) de azeite
– 90ml de cerveja (o restante você bebe)
– 10ml de água
– 1 colher (chá) de sal
– 1/2 colher (chá) de pimenta calabresa
– 2 colheres (sopa) de orégano
– 120g de queijo parmesão raladoColoquei todos os ingredientes na batedeira – usei a pá raquete – e bati em velocidade média até que formasse uma massa homogêna. Dá pra misturar na mão só que vai te dar um pouquinho mais de trabalho.

Abra a massa com um rolo e com o cortador fure toda a massa. Coloque numa forma untada e coloque pra assar em forno preaquecido em 180 graus. Levou  uns 40 minutinhos.

 
 
Bj a todos.
 
Téia.
Anúncios
 
12 Comentários

Publicado por em 23/08/2011 em amigos, cozinha amiga, ervas, lanchinhos, pimenta, queijo

 

Tags: , ,

Bolo de chocolate, iogurte e creme de leite

Queridos:

Vou confessar uma coisa: que eu me lembre, nunca tinha feito bolo de chocolate simples. Já tinha jeito brownies, banana com chocolate, chocolate com nozes e tal, mas o simplesinho ou só com um calda, nunca. É aquela minha mania de receitas elaboradas e de “invencionices”, apesar de acreditar piamente na simplicidade…

Então, de umas semanas para cá, o pessoal do meu trabalho definiu que todos os dias um de nós levaria um café-da-manhã/lanche da tarde (tem que dar para os dois períodos porque as “dragas” não são fracas não). Não precisa ser feito em casa, lógico, a única disposta a isto, sou eu. Às vezes fico pensando que as cozinheiras que trabalham fora estão cada vez mais raras (as do lar também). Ah, se eu pudesse convencer as mulheres modernas de como cozinhar é terapêutico, e de como é legal recebermos elogios por uma comidinha gostosa…Eu juro que tento, mas a adesão é mínima…

Sinto-me um pouco dividida nesta idéia, por um lado adorei, mas por outro, nem tanto.

Adorei porque era uma chance de fazer guloseimas sem comê-las sozinha ou só com o maridex, e postá-las aqui, e nem tanto, porque a balança e a saúde não estão gostando de tantos pães, bolos e bebidas açucaradas. Weel, não podemos ter tudo na vida, não é mesmo?

Já fiz bolo de banana, chocolate quente, pão integral light de aveia e mel, salada de frutas e este bolo que vos apresento. 

Como nunca tinha feito algum assim, fui na minha, e de muita gente, fonte de bolos lindos e rápidos, a linda amiga Glau, mas acabei optando por uma receita do bolo de chocolate da talentosa bora, um pouco mais elaborada (é, não perco esta mania) pois utiliza a batedeira ao invés do liquidificador, as claras são em neve (adoro bolos com claras em neve, fofíssimos) e tal, além disto, achei tão legal a explicação de como deixar o bolo fofinho…

Por fim, alterei alguns ingredientes (está em vermelho), tirei o café, dobrei a receita (e a esperta aqui esqueceu de comprar 2 iogurtes e acabei usando creme de leite fresco no lugar do 2º. Light, né?) e fiz uma calda meio-amarga para acompanhar. Nas fotos não aparecem porque levei a calda para jogar lá na hora de servir na manhã seguinte e Miltão tirou as fotos em casa à noite. Sugiro fazê-la, foi muito elogiada, aliás o bolo todo, que ficou muito macio e úmido. Ah, e pouco doce…

Vamos a receita da Dé.

Gostaram das minhas xícaras com asas de borboletas?

” 2 ovos inteiros
– 50g de manteiga (em temperatura ambiente)
– 3/4 xícara (chá) de açúcar mascavo (usei do comum)
– 1 pote de iogurte (200g)
– 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
– 3 colheres (sopa) de cacau em pó
– 1 xícara (café) de café bem forte (se tiver como fazer um expresso em casa, melhor) (não usei)
– 1 colher (café) de essência de baunilha
– 1 colher (sopa) de fermento em pó
– Açúcar de confeiteiro para decorar (usei a calda)

Para fazer um bolo fofo, qualquer que seja a receita que você vá utilizar, lembre sempre de uma dica: é preciso colocar AR dentro dela. Porque o ar é que vai servir, junto com o fermento, para impulsionar a massa para cima, ao expandir-se com o calor do forno.

Então, em cada etapa do preparo, tenha sempre em mente isso: precisamos de “ar”.

Bata o açúcar com a manteiga até formar um creme bem cremoso. Quanto mais batido, mais “ar”.

Acrescente os ovos e bata bastante. Não, não canse de bater. Você vai ver que a emulsão dos ovos vai ajudar muito o bolo ficar bem fofo. Acrescente o café e o iogurte e continue a bater. Não estranhe se, ao acrescentar o iogurte, a mistura tenha uma aparência de “leite talhado”. Isso nada mais é do que uma reação de temperatura. O iogurte gelado vai se agregar à manteiga, e por isso vai parecer talhado. Depois isso se ajusta no forno. Mas procure adicionar o iogurte e o café e bater bem.

Peneire os ingredientes secos – isso também ajuda a separar as partículas de farinha e cacau e permitir que mais ar entre em sua receita. Nossa, já temos quase uma ventania no bolo!

Junte os ingredientes secos peneirados à mistura de açúcar, ovos, iogurte e café, acrescente a essência de baunilha e o fermento e misture bem. Essa etapa deve ser feita de maneira rápida e suavemente, porque senão todo o trabalho que você teve em aerar a massa será perdido. Se tiver coragem, pode fazer isso com as mãos… isso mesmo, com as mãos, para sentir onde tem bolotinhas de farinha, sem precisar ficar mexendo e mexendo com um fouet.

Leve ao forno em temperatura máxima, em forma untada, até que o bolo cresça e, em seguida, abaixe a temperatura do forno, para que a massa “cozinhe”. Deixe assar até que, colocando um palito na massa, ele saia seco e limpinho.” O meu, com a receita dupla, rendeu dois bolos, como vocês podem ver pelas fotos, um grande e um na forma de pão (que obviamente ficou em casa).

Minha calda de chocolate meio-amargo:

1 xícara de creme de leite fresco

1/2 tablete de chocolate meio-amargo

1 colher de sopa bem cheia de cacau em pó

1 colher de sopa de manteiga

1 colher de chá de baunilha

1 colher de sopa de açúcar (ou a gosto)

Levar ao fogo bem baixinho o creme de leite até esquentar, incluir os chocolates, o açúcar e deixar derreter, no final a manteiga. Mexa o tempo todo com um fouet.

Bjs e um abração a todos.

Téia.

 

Filé de Pescada Amarela em Crosta de Gergelim Colorido com Molho de Teriyaki e Shimeji na Manteiga

Tenho adoração por comida com influência oriental e esta aqui atende perfeitamente a este conceito: leve, aromática, agridoce e crocante.
 
Segue uma receita very romantic, daquelas que aproximam as pessoas pela delicadeza e riqueza de aromas.
 
Muito fácil de fazer, comprei o molho de teriyaki pronto, porque estava com muita pressa e faminta, mas já fiz em casa de outra vez, e usei a receita da querida Karen do Kafta na Praia, receita aqui.
 
Não tem receita portanto, temperei os filés com sal e pimenta do reino, passei os filés de pescada em uma clara de neve levemente batida com um garfo e rolei no gergelim preto e vermelho (presente da minha amiga linda Glau do Quitandoca e do Madames na Cozinha).
 
Usei a pescada amarela e ficou ótimo, mas pode ser usado perfeitamente, pois já usei, o salmão, o atum e o robalo.
 
 
Grelhei em uma frigideria com um pouco de manteiga e um fio de azeite.
 
 
Esquentei uma xícara grande do molho teriaki e coloquei uma colher de chá de maisena, porque apesar de saboroso, achei um pouco ralo.
 
 
Passei o shimeji na manteiga e temperei, enquanto fritava, com sal e pimenta-do-reino.
 
 
Coloquei o molho por baixo, depois o peixe e servi com o shimeji e arroz branco.
 
Ah, a vida pode ser boa!!!
 
Bj a todos.
 
 

Filé ao molho de café e batatas com hortelã

Preciso confessar que não sou fã de café. Só gosto daqueles tipos cremosos, gelados, capuccinos e afins.
 
Na verdade tenho aversão a sabores amargos, meu paladar não aceita, tento de tudo, fico querendo achar alguma receita que me faça ver que existem excessões, e isto aconteceu quando vi esta lá na minha querida amiga Silvia do Doce Casinha, fiquei super curiosa. Como confio muito no talento dela, resolvi tentar. Já de cara vi que teria que fazer algumas alterações na receita para deixá-la mais suave e adocicada. Foi uma boa decisão, pois ainda não me apaixonei, mas consegui comer e gostar.
 
Se você, no entanto, for apreciadora de sabores amargos, com certeza irá adorar, o maridão não poupou elogios. 
 
As batatas são uma versão da batata sauté, só que utilizando hortelã no lugar da salsa, para aproveitar as hortelãs do meu jardim…Uma companhia clássica para um filé..
 
 
 
Segue a receita, as minhas alterações estão em vermelho e itálico
 
Ingredientes

 
– Cerca de 1,2 kg de filé
– 1/2 xícara de vinho branco seco
– 1 xícara de café forte (preferencialmente feito na hora)
– 1 colher de chá de farinha de trigo diluída no café (coloquei uma de sobremesa)
– 1/2 caixinha de creme de leite
– 2 colheres de sopa de açúcar
– 1/2 xícara de caldo de legumes
– 1/2 cebola cortada em pérolas (pedaços grandes)
 
Modo de fazer
Coloque um pouco de óleo ou azeite na panela, coloque a carne e a cebola para fritar, quando a carne estiver dourada e com bastante água, e a cebola transparente, retire e separe.
Na mesma panela, adiciona a farinha de trigo diluída no café, o vinho,o caldo e por último o creme de leite. Mexa bem para não empelotar a farinha. Deixe ferver um pouco e aí, coloque a carne de volta para que ela termine de cozinhar no molho, e assim que estiver bem molinha, está pronto. Quando for fritar a carne dá pra colocar umas cebolas para dourar também, aí a hora de retirar, retira tudo.Eu usei a cebola.
 
Boa sugestão, né não pôvo amigo????
 
Bj a todos.
 
 
19 Comentários

Publicado por em 16/05/2009 em banquetes, batata, café, carnes, cozinha amiga

 

Pão ao curry com recheio de tomate seco e salsicha

 
Como também sou filha de Deus e tiro férias, aviso a meus amigos, leitores e queridos blogueiros que o Banquetes e Lanchinhos entrará em recesso por alguns dias.
 
Voltarei com novidades, lugares lindos, pratos típicos e até receitas, se conseguir me comunicar em español com os chilenos.  Olha que estudei alguns anos da língua e tenho até diploma de conclusão do curso, massss, nossos amigos de língua espanhola nem sempre têm paciência de ouvir o meu sotaque brasileiro e meus segundos de pensamento para lembrar as palavras vistas há 3, 4 anos atrás, além disto, já soube que eles gostam tanto de nós que querem aprender nossa língua. Então, vamo que vamo. Na volta conto tudo…
 
Deixo aqui para vocês uma receita de despedida para fechar com chave de ouro este ciclo de trabalho, corre-corre e muita comida.
 
Um pão de curry com recheio de tomate seco e salsicha, de comer ajoelhada, da Si do blog Chocolatria (só para variar).
 
Aviso que foi meu primeiro pão de sovar, sem usar a MFP. Sempre falei que pão não era muito a minha praia porque exige paciência (qualidade que não tenho, se bem que na cozinha sou chegada em coisas trabalhosas. Bem, hobby é hobby…), aquela coisa de deixar crescer e tal. Que nada, foi tranquilo e ficou maravilhoso, sem defeitos, a massa é ótima, levinha e desmancha na boca, o recheio combina perfeitamente com o gosto discreto, mas importante do curry. Fiz algumas adaptações e já coloco a receita com elas.
 
Preciso dizer de novo? Façam!!!!
 
 
 
 
Curry Hot Dog com Pasta de Tomate Seco
 
250 g de f. de trigo e cerca de 100 g para dar o ponto
5 g de fermento biológico seco instantâneo (meio pacote)
2 colheres de sopa de açúcar
180 ml de leite morno
60 ml de óleo
1 colher de chá de sal
1 ovo médio
3 colheres de chá de curry ou a gosto
1 gema batida para pincelar
Gergelim preto para salpicar
 
Recheio:
 
6 salsichas cortadas ao meio, ou 12 mini salsichas,usei a de frango
Cerca de 200g de tomates secos processados (bati no liquidificador com 4 colheres de sopa de água) para proporcionar cremosidade
 
Numa tigela junte: o fermento, açúcar, ovos, leite morno e óleo. Misture bem. Aos poucos adicione os 250 g de farinha, misture o restante da farinha até soltar das mãos. Sove por uns 5 a 8 minutos (sovei por 10 minutos).
Cubra com filme plástico (ou pano) e deixe crescer por 1 hora ou até dobrar de tamanho.
 
Separe 12 bolinhas, jogue farinha na pedra ou na forma, nivele com a mão, passe um rolo e deixe uma bola achatada de tamanho pequeno. Passe o creme de tomate, coloque metade da salsicha e feche dobrando as pontas para dentro.
 
Deixe crescer por mais 1 hora. Pincele com a gema e polvilhe o gergelim.
 
Pré-aqueça o forno em 220º por 10 minutos, asse os pães por mais 10 minutos, abaixe o forno para 180º.
 
Bj muito grande a todos e até a volta.
 
Téia.
 
25 Comentários

Publicado por em 27/02/2009 em cozinha amiga, pães, salgado, tomates

 

Menu Completo – Aula com o Chef Willian Chen Yen – Receita: Galette Chocôco com Maçã ao Vinho

 
 

 
Este mês, os eventos estão de “vento em poupa.
 
Já fazia um tempo que não fazia um curso de culinária e já estava com “comichões”. Para resolver o problema, optei por uma aula que vinha namorando há um tempo, com um chef que adoro, Willian Chen Yen, do Restaurante Babel.
 
Apesar do nome e da descendência chinesa, pai e mãe, ele é carioca, e a cozinha do Babel é o que ele chama de fusion-contemporânea, ou seja uma mistura de ingredientes, molhos e técnicas orientais mesclando com a clássica cozinha ocidental.
 
Em tempos em que chef é uma celebridade, não podia deixar de mostrá-lo aqui…
 
 
 
A Aula foi um Menu Completo, com uso de maçarico culinário, entrada, prato principal com acompanhamento e sobremesa, e ele muito gentilmente me, e nos, cedeu as maravilhosas receitas.
 
Menu
 
Coquilles Saint-Jacques Brullé (com vieiras)
 
 
 
Filé Recheado com Brie e Tomate Recheado com Couscous Marroquino e Farofa de Pão
 
 
Galette Chocôco com Maçã ao Vinho
 
 
 
Vou começar o menu de trás para frente, fazendo a sobremesa, afinal, para quem me acompanha, este é a minha parte preferida em qualquer menu. As demais receitas virão em seguida.
 
É uma receita inusitada, com texturas e gostos diferentes e que se somam: cereais de milho sem açúcar, chocolate meio-amargo, côco e uma deliciosa cobertura de maçã ao vinho branco dourada no maçarico.
 
Esta, é para impressionar, se for a sua idéia, faça e depois me conta.
 
Ingredientes (2 pessoas):
 
1 xícara de Cereal de Milho sem Açúcar
1/2 xícara de côco picado em cubinhos pequenos (aqui é o pulo do gato, não rale, esta textura faz a diferença)
1 xícara de chocolate meio-amargo
1 maçã ralada
300ml de vinho branco
manteiga
açúcar refinado
 
Salteie o côco em manteiga até começar a dourar, açucare a gosto e deixe esfriar.
Derreta o chocolate em banho-mari, misture os cereais e o côco.
Molde 2 tortinhas (como base) e leve a geladeira para firmar.
Leve o vinho branco ao fogo até ferver, junte, então a maçã. Deixe levantar fervura novamente, e, então, apague o fogo e escorra bem o vinho.
Cubra a galette com a maçã escaldada, polvilhe açúcar e queime com o maçarico.
 
Obrigada Wilian, sua aula é nota 10, como te falei, você tem o dom de ensinar, parabéns!
 
Bj grande.
 
Téia.
 

Filé com Queijo Coalho e Molho de Melado

 

Esta receita é daquelas que ficam martelando na sua cabeça por meses, aí você acaba fazendo e descobre o porquê de sonhar com elas. Daquelas adaptações e mistura da fantástica comida nordestinha com um super toque gourmet.

 
Esta delícia foi efetuada pela querida Katita do Rainhas do Lar. Segundo informação dela é criação da Morena Leite, ô meninas danadas…

 
Ela fica maravilhosa, é fácil, muuuito rápida e faz bonito. Acho que não levei nem meia hora para fazê-la para mim, marido e sogra.
 
Foi a primeira receita do ano, e vou contar: abri com chave-de-ouro. A mistura do queijo salgadinho levemente derretido, com o molho adocicado fica fantástica. 
 
Lá no site do Rainhas ela não dá a quantidade dos ingredientes, mas  para facilitar para vocês, seguem as proporções e quantidades. 
 
Ingredientes: (3 pessoas)
 
Filé
6 filés mignon cortados em medalhões, cada um com 150g aproximadamente
6 pedaços grandes de queijo coalho
Sal e pimenta do reino a gosto
1 colher de sopa de manteiga e 1 fio de azeite
 
Molho
150ml g de melado de cana ou 1 xícara e 1/2
500 ml de caldo de carne já preparado (dissolva 1 caldo e 1/2 de com 500ml de água)
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sobremesa de amido de milho
 
Leve ao fogo baixo o melaço e o caldo, sem o amido e deixe dar uma leve engrossada.
 
Enquanto isso, tempere os filés com sal e pimenta moída na hora, grelhe os filés em fogo alto, com 1 colher de sopa de manteiga e o azeite, selando-os por 3 a 4 minutos cada lado, ou a gosto. Acrescente o restante da manteiga, e um pouco do caldo de carne, uma colherinha de chá é suficiente, raspe o restinho da panela e acrescente ao molho que está no fogo.
 
Numa frigideira passe com um pincel um fio de azeite ou óleo de girassol e espalhe, coloque os pedaços de queijo e deixe grelhar até dourar dos dois lados. Reserve. 
 
Agora, coloque o amido no molho e fique mexendo por uns 5 minutos até engrossar. Faça os devidos acertos, engrossando com mais amido ou mais caldo de carne, de acordo com o ponto do molho que você goste de comer.
 
Coloque os filés em uma travessa, cubra com o queijo e leve ao forno pré-aquecido por 5 minutos e cubra como molho quente.
 
Já que o cardápio era tipicamente brasileiro servi com um arroz de castanha do pará, castanha brasileira para os estrangeiros, que meu irmão trouxe para mim do Norte, já cortada em lâminhas e salgadas, produto para exportação, naõ conhecia, claro, amei…
 
Agora, senta e agradeça a Deus, com tanto problema no mundo, por podermos comer uma comida nota 10 destas…
 
 
 
Bj a todos
 
24 Comentários

Publicado por em 10/01/2009 em banquetes, carnes, cozinha amiga, queijo