RSS

Arquivo da categoria: carnes

Como faz estrogonofe?

Mesmo sendo considerado por muitos uma comida batida, e até meio brega (já falei disso aqui), conheço pouca comida tão deliciosa, prática, versátil e que todos adoram, as crianças, os adultos, homens e mulheres. É um prato tão típico brasileiro, embora tenha origem russa, que até seu nome já foi “abrasileirado” (strogonoff já era).

Faço esta receita desde sempre, a primeira que usei veio do site da Nestlé, que adoro, mas já alterei tanto que já virou um mix. Como toda receita, é apenas uma referência, vá alterando ao seu gosto.

Eu, por exemplo, gosto dele mais vermelhinho e então acrescentei um tomate a mais e uma colher de catchup e molho inglês, Ah, e só uso filé mignon ou frango. E na falta dos champignons, não me aperto, uso milho. Querendo arrasar, use shiitake, fica muito mais fino.

Outras dicas para evitar que o molho talhe, muito comum nesta comida, use o creme de leite em caixinha, aliás, esta dica vale para qualquer prato salgado.  E não precisa deixar o estrogonofe fervendo muito tempo. Aqueceu bem, apareceu as primeiras bolhinhas desligue o fogo. Seu molho vai ficar bem cremoso.

Enfim, estrogonofe é sempre uma boa pedida.

Bom apetite!

  • 4 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 kg de carne em tiras finas (filé mignon, contra-filé, alcatra)
  • 2 cebolas picadas
  • meia colher (sopa) de sal
  • 1 pitada de pimenta-do-reino
  • meia xícara (chá) de conhaque
  • 200 g de champignons em conserva fatiados
  • 4 tomates , sem pele e sem semente, picados
  • 2 colheres (sopa) de catchup
  • 1 colher (sopa) de mostarda
  • Molho inglês a gosto
  • 2 caixinhas de creme de leite
Modo de Preparo
Em uma frigideira grande, derreta três colheres (sopa) da manteiga, e doure a carne, aos poucos, em fogo alto, para não juntar suco. Reserve a carne, coloque na frigideira a manteiga restante e refogue a cebola. Junte a carne, tempere com o sal e a pimenta-do-reino. Despeje o conhaque, deixe aquecer e incline levemente a frigideira para que o conhaque incendeie. Deixe flambar até acabar a chama e junte os champignons. Acrescente os tomates, o catchup e a mostarda e misture bem. Abaixe o fogo, tampe a panela e deixe por cerca de 5 minutos. Incorpore delicadamente o Creme de Leite e retire do fogo antes de ferver. Sirva a seguir com arroz branco e batata palha.
Mais Dicas:
– Para que a carne fique macia e suculenta, ela deve ser preparada em fogo alto e aos poucos.
– Querendo, substitua a carne pela mesma quantidade de filé de frango em tiras finas ou camarões limpos.
– Flambar é a técnica de incendiar os alimentos com bebidas alcoólicas. Desse modo, o álcool evapora e obtemos apenas o aroma da bebida usada.
Bj a todos.
Téia.
 
8 Comentários

Publicado por em 23/07/2012 em banquetes, carnes, prato principal

 

Filé ao molho de gorgonzola e vinho tinto

 

Esta receita é puro glamour, os ingredientes são chiques e filé é sempre filé, não é mesmo????

Ah, mas isto não importa, o que importa é que ela é pá pum para fazer. Trabalho mínimo, tempo recorde, e voilá, um prato para agradar a todos, e especialmente aos homens que gostam de carne e sabores fortes.

Achei a mistura bem interessante, fui pegando os ingredientes da geladeira e dos armários e deu no que deu…

Receita: (2 pessoas gulosas)

4 medalhões de filé mignon

2 xícaras de creme de leite fresco

1/2 xícara de vinho tinto de ótima qualidade

Um bom pedaço de queijo gorgonzola (aproximadamente 100g)

Um tiquinho de leite para dar uma diluída no molho que ficou grossinho

1 coher de sopa de manteiga+1 fio de azeite

Sal e pimenta do reino à gosto

Um punhado de avelãs torradas e sem casca para jogar por cima.

Tempere os filés com o sal e a pimenta. Derreta a manteiga e o azeite e frite os filés. Reserve.

Na mesma figideira, utilizando o restinho da fritura, acrescente o vinho, abaixe o fogo e deixe evaporar o álcool, o creme de leite, o gorgonzola amassado com um garfo e deixe derreter. Caso necessário acerte a consistência do molho com um pouco de leite. (Queijos fazem os molhos engrossarem demais). Acerte o sal e a pimenta. Jogue o molho por cima dos filés e acresente as avelãs.

Para acompanhar esta delícia tomamos Malbec maravilhoso (alías o mesmo que usei na receita), olha ele aí.

Bj a todos.

Téia.

 

Filé recheado com brie, tomate seco e manjericão, molho de vinho e arroz de beterraba

Fazem meses, senão anos, que quero fazer um filé recheado, e no forno, mas sempre adio achando que seria trabalhoso e difícil.

Ledo engano, foi super tranquilo e o resultado é fantástico e único. Devido ao refinamento da “coisa” deixe para dias especiais, pois assim ele o é.

Foi uma das melhores receitas de filé que já fiz, e ao contrário do que pode parecer, é super fácil e rápida de fazer.

Não sei as quantidades exatas, mas também não precisa, o “felling” resolve.

Para 4 pessoas, pegue uma peça de filé mignon pequena, aproximadamente de 1 kg, e abra-a ao meio, depois bata-a com um martelo até ficar baixinha, como um escalope. Aí tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Deixe uns 15 minutinhos para pegar gosto. Olha ela aí.

Enquanto isto, pique umas 100 a 150 g de queijo brie em pedaços pequenos, uns 10 pedaços de tomate seco escorridos e picado e umas 20 folhinhas de manjericão.

Recheie o filé com esta mistura, conforme a foto abaixo:

Agora enrole como um rocambole e passe um barbante fazendo aquele famoso formato de rosbife. Coloque-o em uma forma e cubra com papel alumínio.

Aqueça o forno a 250º por 10 minutos. Diminua para 200º e coloque o filé por 10 minutinhos só para dar uma cozida por dentro do filé.

Após este tempo, tire o papel alumínio, coloque umas bolotas de manteiga e um fio de azeite em cima do filé e deixe-o dourar, dependendo do forno, leva uns 10 minutos ou 15. Fique de olho!

Por dentro ele deve ficar rosado e por fora dourado.

Molho de vinho (4 pessoas)

400 ml de vinho tinto seco

1/2 cebola cortada em cubos

1 colher de sopa de manteiga

1 colher de sopa de açúcar

1/2 pau de canela

1 colher de chá de maisena, dissolvida em 1 colher de sopa de água

Esquente a manteiga, refogue a cebola, acrescente o vinho, a canela, e o açúcar e esquente até ferver. Baixe o fogo e cozinhe o molho por 15 minutos mexendo de vez em quando com um fuet. Coe e volte a panela por mais 2 minutinhos. Fica super cremoso! Sirva com o filé.

O arroz de beterraba eu comprei pronto, não lembro a marca. Então, fiz como um arroz comum e acrescentei ao final, 1/2 colher de sopa de manteiga comum e 1 colher de sopa de parmesão ralado na hora, só para dar uma consistência diferente.

Chic! Très bien!

Baiser! (Hoje tô me achando a francesa, depois conto o porquê)

 
 

Arroz de Carreteiro Colorido

O final de semana foi produtivo aqui em casa, a cozinha esteve a todo vapor, finalmente consegui fazer mais de um prato, e estranhamente, nenhum dele era doce.

Para melhorar, embora não tenha nada a ver, consegui correr e caminhar com os cachorros. Como a correria tem sido grande nem os meus maiores hobbyes estavam sendo feitos.

Faz bastante tempo que quero testar esta receita, comum nos estados sulistas, o que significa que tem lugar cativo aqui em Brasília. Não sei se vocês sabem, mas aqui a coisa mais comum aos sábados e domingos é reunir a família e amigos para fazer um churrasco. Ás vezes tenho a sensação que fazermos mais churrasco do que os gaúchos. E aí, o que sobra vira arroz carreteiro. Eu não usei sobras, usei um belo pedaço de charque traseiro. Achamos que ficou boa para a  primeira vez, mas, claro, vou fazer pequenas alterações da próxima vez, que já estão registradas na receita abaixo.

Comece assim, deixe  500 g. de charque, cortada em pedaços grandes, de molho de um dia para o outro, trocando a água umas três vezes. Coloque-a numa panela de pressão com 4 xícaras de água, 1 folha de louro e 1 cenoura descascada e cortada em rodelas grandes, por 25 minutos, depois de apitar. Retire a carne e reserve a água e a cenoura. Despreze o louro.

Pique em pedaços pequenos: 1 cebola grande, 2 tomate sem semente e pele, 4 pimentas de cheiro, 6 colheres de sopa de cebolinha, 3 dentes de alho e 100 g de bacon.

Leve a uma panela, de fundo grosso preferencialmente, 2 colheres de sopa de azeite e 1 de manteiga, quando estiver quente, frite o bacon até dourar, acrescente a cebola, o alho e os tomates e deixe por 5 minutos fritando. Inclua a carne e frite mais um pouco, (neste momento na próxima vez acrescentarei 1 ou 2 linguiças calabresa cortadas em rodelas, e depois na metade, e fritaria junto com a carne), coloque 2 xícaras de arroz parborizado se quiser um carreteiro mais sequinho, e se quiser mais molhadinho, faça com o cateto ou agulhinha que tem mais amido. Refogue. Acrescente o caldo reservado que deve estar super quente e mais um pouco de água quente até perfazer 5 xícaras.

Deixe cozinhar em fogo baixo com a tampa semi-aberta até o grão ficar macio, mas ainda tenha um pouquinho de água. Desligue o fogo e acrescente a cebolinha e a pimenta de cheiro e 1 colher de sopa de azeite para dar um “brilhinho”, e, se você achar por bem, dê uma desfiada na carne que estará desmanchando e uma mexidinha no arroz.

Porque colorido? Porque os tomates, a cebolinha e a pimenta dão uma corzinha simpática. Além disto, servi com uma bela colher de sopa de geléia de pimenta por cima para dar um “up” e contrastrar.

Bem gostoso. Matei a vontade e tô aqui levinha (não o peso, o espirito). Ah, como para nós cozinheiros de plantão, ir para a cozinha é terapêutico!  Adoro!

E já que falei deles por aqui, e para que vocês não se esqueçam, seguem umas fotos que tiramos dos cachorrinhos da casa, depois e durante o passeio. Olhem que lindinhos…

Super Mike Franjinha

Fôfa Bebel!

 

Tags:

Tiras de Filé Oriental com Cenoura e Pimentão na Wok

Quando estivemos no Chile comemos uma carne com legumes crocantes, deliciosa, levemente picante, muito bem temperada e com um molho divino.

Chegando no Brasil, já fui providenciando a reprodução do prato, de acordo com o que me lembrava de cabeça e do paladar, mas como sou anciosa crônica, principalmente em se tratando de fazer receitas e comer iguarias, não esperei nem fazer compras e improvisei com o que tinha na geladeira, não ficou igual, alías nem parecida, vou ter que fazer de novo, mas ficou bem gostosa.

É uma receita facílima e muito rápida, boa para noites famistas e românticas (eita, ficou maliciosa esta frase, liga não, normal…)


Usei para 2:

400g de filé mignon cortado em tiras e temperado com pimenta do reino e pouco sal
1 cenoura grande cortada em rodelinhas finas
1 pimentão em quadrados
1 colher de sopa de cebola ralada
3 colheres de sopa de óleo de gergelim
1 colher de sopa de manteiga
6 colheres de sopa de shoyo light
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de chá de maisena
2 colheres de sopa de vinho branco
1 colher de café de tabasco
Gergelim torrado a gosto (usei umas 2 colheres de sopa)

Leve a uma panela wok ou frigideira grande, metade da manteiga e do óleo, refogue a cenoura e o pimentão, até ficar “al dente”. Reserve.

Coloque o restante da manteiga e do óleo, doure a cebola, frite o filé, acrescente os legumes, o shoyo, o açúcar, a maisena dissolvida no vinho e o tabasco e mexa até fazer um molho levemente cremoso. Jogue o gergelim por cima. Sirva fumegante…

Comemos com arroz branco e um Chardonay delicioso. E lembramos as férias em terras andinas, mesmo sem neve. Maravilha!!!

Bj a todos.

 
 

Penne ao molho cremoso de curry, filé e passas

 


Esta receita, eu comia em um restaurante há muito tempo atrás quando ainda era solteira (lembram que mês passado fizemos 10 anos de casados?), em um restaurante que não existe mais. Numa época que nem sonhava em cozinhar. Então, semana passada resolvi tentar fazê-la, se minha memória não me enganou (para comida, continua, ótima), ficou muito parecida e será repetida por aqui.

O molho cremoso temperado com o curry, o filé macio e as passas dando o toque doce fez uma linda e deliciosa combinação. Amei!!!!
 
Receita para 2 pessoas
 
Penne:
400g de penne
 
Seguir as instruções do macarrão para cozinhá-lo, e enquanto isto, fazer o molho.
 
Filé:
200g de filé mignon cortado em tiras pequenas
1 colher de sopa de manteiga e um fio de azeite
sal e pimenta do reino a gosto
 
Tempere o filé com o sal e a pimenta. Leva ao fogo a manteiga até derreter, juntamente com o azeite e frite o filé até ficar ao ponto. Reserve.
 
Molho:
 
2 xícaras de leite comum quente
1/2 caixinha de creme de leite
2 colheres de sopa de farinha de trigo
2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de café de noz moscada
1/2 tablete de caldo de legumes
1 colher de chá de curry (ou a gosto)
1/2 colher de pimenta do reino preta
Sal a gosto
 
Leve ao fogo a manteiga para derreter, acrescente o caldo de legumes esfarelando, depois a farinha até dourar levemente, vá acrescentando o leite aos poucos e mexendo com o fouet até virar um creme, se você achar que está muito grosso, acrescente mais um pouco de leite quente, até acertar o ponto (cada marca de farinha de trigo tem seu poder engrossante diferente). Acrescente o curry, a noz moscada, a pimenta, o creme de leite e acerte o sal.
 
1/2 xícara de uvas passas deixadas de molho em vinho branco ou água morna para ficar bem macia.
 
2 colheres de sopa de parmesão ralado.
 
Acrescente ao molho o filé e as passas, jogue o penne e misture até o molho encorporar bem.
 
Polvilhe o parmesão por cima e sirva imediatamente, fumegando.
 
 

Bj a todos.

Téia.

 
37 Comentários

Publicado por em 23/07/2009 em banquetes, carnes, massa, prato principal

 

Filé ao molho de café e batatas com hortelã

Preciso confessar que não sou fã de café. Só gosto daqueles tipos cremosos, gelados, capuccinos e afins.
 
Na verdade tenho aversão a sabores amargos, meu paladar não aceita, tento de tudo, fico querendo achar alguma receita que me faça ver que existem excessões, e isto aconteceu quando vi esta lá na minha querida amiga Silvia do Doce Casinha, fiquei super curiosa. Como confio muito no talento dela, resolvi tentar. Já de cara vi que teria que fazer algumas alterações na receita para deixá-la mais suave e adocicada. Foi uma boa decisão, pois ainda não me apaixonei, mas consegui comer e gostar.
 
Se você, no entanto, for apreciadora de sabores amargos, com certeza irá adorar, o maridão não poupou elogios. 
 
As batatas são uma versão da batata sauté, só que utilizando hortelã no lugar da salsa, para aproveitar as hortelãs do meu jardim…Uma companhia clássica para um filé..
 
 
 
Segue a receita, as minhas alterações estão em vermelho e itálico
 
Ingredientes

 
– Cerca de 1,2 kg de filé
– 1/2 xícara de vinho branco seco
– 1 xícara de café forte (preferencialmente feito na hora)
– 1 colher de chá de farinha de trigo diluída no café (coloquei uma de sobremesa)
– 1/2 caixinha de creme de leite
– 2 colheres de sopa de açúcar
– 1/2 xícara de caldo de legumes
– 1/2 cebola cortada em pérolas (pedaços grandes)
 
Modo de fazer
Coloque um pouco de óleo ou azeite na panela, coloque a carne e a cebola para fritar, quando a carne estiver dourada e com bastante água, e a cebola transparente, retire e separe.
Na mesma panela, adiciona a farinha de trigo diluída no café, o vinho,o caldo e por último o creme de leite. Mexa bem para não empelotar a farinha. Deixe ferver um pouco e aí, coloque a carne de volta para que ela termine de cozinhar no molho, e assim que estiver bem molinha, está pronto. Quando for fritar a carne dá pra colocar umas cebolas para dourar também, aí a hora de retirar, retira tudo.Eu usei a cebola.
 
Boa sugestão, né não pôvo amigo????
 
Bj a todos.
 
 
19 Comentários

Publicado por em 16/05/2009 em banquetes, batata, café, carnes, cozinha amiga