RSS

Arquivo da categoria: salgado

Torta de Atum Light

Cof, cof, cof….Tirando a poeira aqui do banquetes e lanhchinhos…cof, cof…

Well, após uma longa e maravilhosa férias em Londres, uma super arrumação na minha casa, muito trabalho acumulado que teve que ser posto em dia (ainda estou no processo) e uma dieta super necessária e que ainda se manterá por alguns meses, ressurjo.

Estava com muitas saudades de todos….

Tenho algumas receitas que fiz ainda antes do regime e agora começo a ver um mundo um pouco diferente com as receitas lights e diets, então, vou tentar intercalar as guloseimas com as comidas mais leves.

Quem sabe agora finalmente consigo postar as viagens, já que a cozinha estará mais devagar? Então, não se preocupem assuntos e receitas não faltarão por aqui, ok?

Vamos a receita? Ela é bem antiga, faço há anos, foi minha mãe que me passou e eu a acho deliciosa, super fácil e não parece light, embora seja. Fica molhadinha e bem aromática. Aproveitem.

2 latas de atum na água

4 fatias de pão de forma light (pode ser integral)

1/2 copo de leite desnatado

3 tomates médios picados em cubos

1 cebola média picada em cubos

100g de ervilha

150g de palmito picado em cubos

2 ovos

1 colher de chá de margarina

1 colher de sopa de cada de salsinha, cebolinha e coentro

1 collher de chá de sal

1 colher de chá de pimenta do reino

Em uma vasilha coloque o leite e molhe o pão. Reserve.

Misture os tomates, cebola, palmito, atum, e o cheiro-verde. Acrescente o pão amassando com um garfo.

Bata os ovos como para omelete e inclua o restante dos ingredientes.

Leva ao forno pré-aquecido e asse em fôrma untada por mais ou menos 30 minutos ou até ficar levemente dourada por cima.

Bye e até a próxima.

Bj a todos.

Téia

Anúncios
 
12 Comentários

Publicado por em 22/04/2011 em lanchinhos, peixe, salgado, tortas, Uncategorized

 

Filé ao molho de gorgonzola e vinho tinto

 

Esta receita é puro glamour, os ingredientes são chiques e filé é sempre filé, não é mesmo????

Ah, mas isto não importa, o que importa é que ela é pá pum para fazer. Trabalho mínimo, tempo recorde, e voilá, um prato para agradar a todos, e especialmente aos homens que gostam de carne e sabores fortes.

Achei a mistura bem interessante, fui pegando os ingredientes da geladeira e dos armários e deu no que deu…

Receita: (2 pessoas gulosas)

4 medalhões de filé mignon

2 xícaras de creme de leite fresco

1/2 xícara de vinho tinto de ótima qualidade

Um bom pedaço de queijo gorgonzola (aproximadamente 100g)

Um tiquinho de leite para dar uma diluída no molho que ficou grossinho

1 coher de sopa de manteiga+1 fio de azeite

Sal e pimenta do reino à gosto

Um punhado de avelãs torradas e sem casca para jogar por cima.

Tempere os filés com o sal e a pimenta. Derreta a manteiga e o azeite e frite os filés. Reserve.

Na mesma figideira, utilizando o restinho da fritura, acrescente o vinho, abaixe o fogo e deixe evaporar o álcool, o creme de leite, o gorgonzola amassado com um garfo e deixe derreter. Caso necessário acerte a consistência do molho com um pouco de leite. (Queijos fazem os molhos engrossarem demais). Acerte o sal e a pimenta. Jogue o molho por cima dos filés e acresente as avelãs.

Para acompanhar esta delícia tomamos Malbec maravilhoso (alías o mesmo que usei na receita), olha ele aí.

Bj a todos.

Téia.

 

Arroz de Carreteiro Colorido

O final de semana foi produtivo aqui em casa, a cozinha esteve a todo vapor, finalmente consegui fazer mais de um prato, e estranhamente, nenhum dele era doce.

Para melhorar, embora não tenha nada a ver, consegui correr e caminhar com os cachorros. Como a correria tem sido grande nem os meus maiores hobbyes estavam sendo feitos.

Faz bastante tempo que quero testar esta receita, comum nos estados sulistas, o que significa que tem lugar cativo aqui em Brasília. Não sei se vocês sabem, mas aqui a coisa mais comum aos sábados e domingos é reunir a família e amigos para fazer um churrasco. Ás vezes tenho a sensação que fazermos mais churrasco do que os gaúchos. E aí, o que sobra vira arroz carreteiro. Eu não usei sobras, usei um belo pedaço de charque traseiro. Achamos que ficou boa para a  primeira vez, mas, claro, vou fazer pequenas alterações da próxima vez, que já estão registradas na receita abaixo.

Comece assim, deixe  500 g. de charque, cortada em pedaços grandes, de molho de um dia para o outro, trocando a água umas três vezes. Coloque-a numa panela de pressão com 4 xícaras de água, 1 folha de louro e 1 cenoura descascada e cortada em rodelas grandes, por 25 minutos, depois de apitar. Retire a carne e reserve a água e a cenoura. Despreze o louro.

Pique em pedaços pequenos: 1 cebola grande, 2 tomate sem semente e pele, 4 pimentas de cheiro, 6 colheres de sopa de cebolinha, 3 dentes de alho e 100 g de bacon.

Leve a uma panela, de fundo grosso preferencialmente, 2 colheres de sopa de azeite e 1 de manteiga, quando estiver quente, frite o bacon até dourar, acrescente a cebola, o alho e os tomates e deixe por 5 minutos fritando. Inclua a carne e frite mais um pouco, (neste momento na próxima vez acrescentarei 1 ou 2 linguiças calabresa cortadas em rodelas, e depois na metade, e fritaria junto com a carne), coloque 2 xícaras de arroz parborizado se quiser um carreteiro mais sequinho, e se quiser mais molhadinho, faça com o cateto ou agulhinha que tem mais amido. Refogue. Acrescente o caldo reservado que deve estar super quente e mais um pouco de água quente até perfazer 5 xícaras.

Deixe cozinhar em fogo baixo com a tampa semi-aberta até o grão ficar macio, mas ainda tenha um pouquinho de água. Desligue o fogo e acrescente a cebolinha e a pimenta de cheiro e 1 colher de sopa de azeite para dar um “brilhinho”, e, se você achar por bem, dê uma desfiada na carne que estará desmanchando e uma mexidinha no arroz.

Porque colorido? Porque os tomates, a cebolinha e a pimenta dão uma corzinha simpática. Além disto, servi com uma bela colher de sopa de geléia de pimenta por cima para dar um “up” e contrastrar.

Bem gostoso. Matei a vontade e tô aqui levinha (não o peso, o espirito). Ah, como para nós cozinheiros de plantão, ir para a cozinha é terapêutico!  Adoro!

E já que falei deles por aqui, e para que vocês não se esqueçam, seguem umas fotos que tiramos dos cachorrinhos da casa, depois e durante o passeio. Olhem que lindinhos…

Super Mike Franjinha

Fôfa Bebel!

 

Tags:

Quibe de forno de proteína de soja recheado com queijo

Esta receita é antiga, faço há muito anos, e muitas pessoas que provaram não acreditam que seja feita de soja processada, ou seja PTS – Proteína Texturizada de Soja, para quem não conhece, lembra, depois de hidratada, a carne moída.

Caso não conheçam, coloco abaixo uma foto para vocês terem uma idéia.

Por incrível que pareça, a PTS deixa o quibe molhadinho, é light, e excelente para os vegetarianos.

Peço que percam o preconceito com a soja, pois quando ela é bem preparada fica muito gostosa e é uma excelente opção para variar e até para substituir as carnes do dia-a-dia, pois além de versátil é uma excelente fonte de proteína e sem colesterol.

Costumamos comê-lo no lanche da noite apenas com uma saladinha temperada com molho de limão.

Segue a receita:

1 kg de proteína texturizada de soja (deixada de molho por meia hora)

1/2 kg de quibe para trigo (deixado de molho por meia hora)

 1/3 xícara de cebolinha picada

1/3 xicara de salsa picada

1/2 maço de hortelã picada, somente as folhas

1/2 cebola grande picada

1 dente de alho picado

1 colher de sopa de manteiga

3 colheres de sopa de azeite

Pimenta do Reino e sal a gosto

Queijo Mussarela ralada a gosto (desta vez não usei, mas sempre uso, fica ótimo)

Misture a PTS com o quibe, junte a salsa, a cebolhinha, a cebola, o alho, a hortelã, a pimenta, o sal, e a manteiga.

Amasse esta massa com as mãos até ficar homogênea. Passe no processador se achar que está grosseiro.

Acrescente o azeite e misture bem.

Unte uma forma de bolo quadrada com azeite, coloque metade da massa, jogue o queijo mussarela ralado e acrescente o restante da massa. Jogue um pouco de azeite por cima da massa ao final.

Leve ao forno médio pré-aquecido por aproximadamente 25 minutos ou até dourar levemente por fora.

Frase gastronômica: “Comer e beber mantêm a alma e o corpo juntos” – Henrich Boll, escritor e pesquisador alemão.

Bj a todos.

 
28 Comentários

Publicado por em 10/02/2010 em lanche, lanchinhos, prato principal, salgado

 

Lanchinho para o Casa na Estrada

E então, para a minha felicidade e alegria, meus amigos queridos Bia e Dig do blog Casa na Estrada estiveram aqui em casa para nos encontrarmos depois de mais de um ano sem nos vermos. Vieram também a filhona e o genro deles e minha mãe.

Dig e Bia

Já falei deles por aqui, vivem uma aventura maravilhosa, conhecendo o Brasil em um motor-home (ai que inveja branca) e vieram matar as saudades da família e dos amigos, para depois votar para o “batente” (cof, cof).

Eles são amigos do coração e já deixaram saudades, são comilões como nós, alegres como nós, então, rimos um bocado e comemos mais ainda, a noite foi mesmo ótima….

Fiz um menu simples, mas feito com carinho: gaspacho, receita já postada no blog, queijo brie com mel e avelãs, aquecido no meu recheaut chiquérrimo, patê de ervas, torta de frango, milho e espinafre, salada de repolho com cenoura, passas e molho de mostarda e mel. De sobremesa cocada de gengibre e limão em copinhos, receita aqui.

Seguem as receitas que escolhi para o post de hoje:

Queijo brie com mel e avelãs

Pegue uma boa peça de queijo brie e aqueça em um recheaut, quando começar a derreter jogue uma boa porção de mel, (usei 1/2 xícara e fui reabastecendo) e 1/5 de xícara de avelãs torradas sem pele (ficaria ótimo também com amêndoas)



Torta de Frango, Milho e Espinafre

Ingredientes (15 pedaços grandes ou 30 pequenos):

Massa:
3 ovos
1 xícara de óleo de girassol ou milho
2 xícaras de farinha de trigo
1 e 1/2 xícara de queijo parmesão ralado
2 xícaras de leite
1 colher de sopa de fermento em pó

Sal a gosto

Bata no liquidificador todos os ingredientes, sendo que o fermento vai por último.

Recheio:
 
300g de peito de frango e/ou sobrecoxas cozidos
1 xícara de espinafre cozido levemente e picado
1 lata de milho escorrido
1/2 lata de molho de tomate pronto
 
Misture com os ingredientes em um recipiente e reserve.

Cobertura:
 
4 colheres de sopa de gergelim branco crú (desta vez não usei pois havia alérgico ao ingrediente)
2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
 
Polvilhe por cima da torta.
 
Montagem:
De baixo para cima:
Massa
Recheio
Massa
Cobertura
Leve para assar em fôrma retangular untada e esfarinhada, em forno pré-aquecido por aproximadamente 30 minutos a 200 graus, ou até ficar levemente dourada.

Dica:
Tortas salgadas ou doces, bolos, pudins, biscoitinhos, pães, etc, têm que ser levados ao forno pré-aquecido, por 10 minutos e o tempo de preparo depende muito do tipo, tamanho e modelo do forno, por isto a cada 10 minutos dê uma olhadinha, se estiver pegando embaixo e ainda crua em cima, suba para a grade mais alta e/ou diminua a temperatura.




Salada de Repolho, Cenoura, Maçã e Passas com molho de mel e mostarda

1/2 repolho cru ralado
2 cenouras cruas pequenas raladas
1 maçã picadinha
1/2 xícara de passas deixada de molho em vinho branco quente por 10 m

Junte tudo em um recipiente e acrescente o molho

Molho

1 caixinha de creme de leite
3 colheres de sopa de mostarda forte

2 colheres de sopa de mel

1 colher de sopa de limão

Bata com um fuet e acrescente à salada

Bj a todos.

 
30 Comentários

Publicado por em 14/09/2009 em amigos, castanhas, frango, maçã, queijo, salada, salgado, tortas

 

Bacalhau ao Creme para uma Feliz Páscoa

 


Este bacalhau é originalmente igual à Casquinha de Atum que já postei
aqui.

 
Fiz algumas alterações, bem pequenas, (estão na receita em itálico) e trouxe aqui para vocês como sugestão para a sexta-feira da paixão ou para a Páscoa. Fica divina, e é fácil de fazer, ainda dá tempo para amanhã, leva no máximo 30 minutos. Go, go, go…
 
Todo mundo gosta desta receita, creio que por ser cremosa e substanciosa. 
 
Servi com uma saladona de maçãs, cenoura, passas, presunto, alface e queijo gorgonzola.
 
Desejo a todos que veêm me visitar uma Páscoa maravilhosa, cheia de amor, fraternidade, alegrias, comidas deliciosas e muito chocolate, claro…
 
 
Receita:
 
Ingredientes (6 pessoas):
 
400g de bacalhau desfiado grosso e dessalgado
2 cenouras raladas
1 cebola ralada
2 tomates picados
2 colheres de sopa de manteiga
2 xícaras de leite quente
5 colheres de sopa de farinha de trigo
1 colher de chá de noz moscada
1 garrafa pequena de leite de coco
meia xícara de biscoito cream cracker esmigalhado
meia xícara de queijo parmesão ralado
1/3 de xícara de côco ralado seco
sal a gosto.
 
 
 
 
Doure a cebola em uma colher de manteiga. Acrescente o tomate, a cenoura e o bacalhau e cozinhe por cinco minutos. Reserve.
 
Em outra panela derreta a outra colher de manteiga e acrescente a farinha de trigo até dourar. Aos poucos acrescente o leite quente e o leite de coco, junte a noz moscada e sal a gosto, até virar um creme.
 
Junte o biscoito, o queijo e o côco ralado em uma tigela pequena até ficar bem misturado.
 
Agora junte o refogado de bacalhau com o creme acima. Coloque numa tigela refratária com a mistura do queijo+biscoito+côco misturados por cima.
Leve ao forno prè-aquecido (200º C) por 30 minutos ou até dourar.
 
Bj a todos.
 
 
16 Comentários

Publicado por em 10/04/2009 em bacalhau, côco, entrada, peixe, prato principal, salgado

 

Voltei!!! Com Loló de Camarão

 

Queridos, um dia a moleza acaba e temos que voltar ao batente e a vida “real”, já que férias é fantasia, não é realidade.
 
Adoramos o Chile e em breve voltarei com dicas especiais, fotos interessantes e pratos lindos. Como o fotógrafo ainda está editando as fotos (foram “só” 1.200 fotos) e eu ainda estou matutando e resumindo o que colocar aqui, afinal, foram 10 dias e seria impossível colocar tudo…
 
Conforme falei com vocês a comunicação aconteceu, mas foi difícil, o povo chileno fala casteliano, não o espanhol que estudamos no cursinho, e rápido, muuuito rápido. Lá eu me senti normal, já que aqui todo mundo reclama que falo rápido, e falo mesmo….Ah, mas foi ótimo….
 
Vim aqui só para dar o “ar da graça” porque estava com saudades de vocês e do meu blog.
 
Fiz esta receita antes de viajarmos e  amamos. Pode parecer diferente a nomenclatura de Loló, e não Bobó, como estamos acostumados. Acontece que o talentoso chef José Hugo Celidônio o batizou em seu livro História e Receitas (1ª edição de 1998)  quando trocou a mandioca (ou aimpim) por mandioquinha (ou batata-barôa).
 
Fica divino, não tem outra definição, este tubérculo é muito mais fácil de trabalhar do que a mandioca. Para quem nunca fez bobó, aconselho a começar por este. D. Mandioca não é fácil. Para bater a massa, mesmo no processador, “é uma luta”, ela fica dura e gosmenta, tem que ser feita de pouco em pouco, suja tudo, enfim, vai por mim, a “prima rica, a mandioquinha, mantém a textura e acrescenta uma linda cor dourada, mais sabor e leveza e um toque adocicado.
 
 
 
A receita peguei do bobó da minha mãe, que é perfeita, dei uma simplificada, e só troquei a mandioca pela mandioquinha.
 
Segue a receita para 4 pessoas:
 
500g de camarões grandes 
500g de mandioquinha
1 vidro de leite de côco pequeno
2 colheres de sopa da azeite
2 colheres de sopa da azeite de dendê (troquei por azeite comum)
1/2 cebola picada
1 dente de alho picado
4 tomates picados, sem pele (usei 1 lata de molho de tomate)
1/3 xícara de cheiro-verde bem picadinho(usei salsa e coentro, o último é fundamental) ou à gosto
1/2 pimentão picado
Sal e pimenta do reino à gosto
 
Tempere os camarões com o sal e a pimenta. Reserve.
Leve a mandioquinha cortada em rodelas e descascada ao fogo cobrindo com água, até ficar macia. Bata no processador (ou liquidificador) com a água do cozimento e o leite de côco. Reserve.
Refogue os camarões em azeite por 3 minutos. Reserve.
Refogue a cebola e o alho nos azeites, junte os tomates ou o molho de tomates, o pimentão e metade do cheiro verde.
Junte a este molho os camarões e o creme de mandioquinha. Mexa bem.
Deixe ferver em fogo baixo por 5 a 10 minutos até ficar cremoso.
Acerte o sal, desligue e acrescente o restante do cheiro verde.
 
Comam rezando!!!
 
Bj a todos.
 
Téia.
 
34 Comentários

Publicado por em 15/03/2009 em banquetes, camarões, prato principal, salgado