RSS

Arquivo da categoria: tomates

O nhoque infalível do Claude

Amigos lindos!

Finalmente ressurjo das cinzas, das viagens, e da correria de mudar de área no trabalho.

Infelizmente, a vida tem suas prioridades, e o meu amado blog ficou um bucado parado, aliás, a cozinha também, maaassss, voltei com esta receita marravilhosa, super acertiva, para um prato que nem sempre dá certo. Quando a assisti no programa Que marravilha!!! me encantei pela enorme quantidade de dicas para evitar que o nhoque ficasse mole ou sem gosto.

O toque dos queijos e da noz-moscada faz toda a diferença e as dicas de assar a batata no forno e do choque com a água gelada são fantásticas. Já fiz duas vezes e deu super certo. Vamos tentar?

Ah, estivemos mais uma vez na Europa, antes Paris, agora Bélgica e Holanda. E desta vez, com um diferencial, tudo de graça, eu disse tudo, passagens, hospedagens, alimentação e passeios, e para melhorar, tudo de primeiríssima qualidade. Por nossa conta, só o bom humor e muita alegria, ó que difícil! Maridón ganhou o pacote para nós dois. Ô homem sortudo…e eu, peguei carona na sorte dele. Beleza!!!

Bem, vamos a receita, (que peguei no site do gnt)  para quem tem medo de errar massas caseiras, como eu. Só fiz a massa, pois optei por um molho vermelho, que já fiz aqui, pois gostamos mais aqui em casa, mas em breve vou testar o molho de gorgonzola que tem lá:

Para 4 pessoas

600g batata
120g farinha de trigo (usei mais uma colher cheia)
3 gemas
80g queijo parmesão ralado
60g queijo mussarela ralado
180g ervilhas frescas cozidas (não usei)
sal a gosto
pimenta do reino moída na hora a gosto
noz moscada a gosto

 

Enrole em papel alumínio as batatas lavadas e asse no forno pré-aquecido a 180°C (eu coloquei em 200), até que elas fiquem macias (aproximadamente 40 minutos, eu levei quase 1 hora).  Depois, descasque as batatas ainda quentes, faça um purê e misture com todos os outros ingredientes, menos as ervilhas (não usei). Enrole e corte o nhoque do tamanho que quiser (eu marquei com um garfo para ajudar a penetrar o molho). Jogue o nhoque em água fervendo salgada (cuidado, eu coloco na escumadeira e jogo na água para não espirrar). Quando subir (aproximadamente 5 minutos), retire e coloque em água com gelo. Seque imediatamente com um pano e frite o nhoque no azeite (eu não fritei, já coloquei direto no refratário, pois ia levar ao forno de volta. O Claude fritou para aquecer o nhoque e jogou o molho por cima).

Prometo que aparecerei mais por aqui.

Bj a todos.

Anúncios
 
 

Tags:

Filé recheado com brie, tomate seco e manjericão, molho de vinho e arroz de beterraba

Fazem meses, senão anos, que quero fazer um filé recheado, e no forno, mas sempre adio achando que seria trabalhoso e difícil.

Ledo engano, foi super tranquilo e o resultado é fantástico e único. Devido ao refinamento da “coisa” deixe para dias especiais, pois assim ele o é.

Foi uma das melhores receitas de filé que já fiz, e ao contrário do que pode parecer, é super fácil e rápida de fazer.

Não sei as quantidades exatas, mas também não precisa, o “felling” resolve.

Para 4 pessoas, pegue uma peça de filé mignon pequena, aproximadamente de 1 kg, e abra-a ao meio, depois bata-a com um martelo até ficar baixinha, como um escalope. Aí tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Deixe uns 15 minutinhos para pegar gosto. Olha ela aí.

Enquanto isto, pique umas 100 a 150 g de queijo brie em pedaços pequenos, uns 10 pedaços de tomate seco escorridos e picado e umas 20 folhinhas de manjericão.

Recheie o filé com esta mistura, conforme a foto abaixo:

Agora enrole como um rocambole e passe um barbante fazendo aquele famoso formato de rosbife. Coloque-o em uma forma e cubra com papel alumínio.

Aqueça o forno a 250º por 10 minutos. Diminua para 200º e coloque o filé por 10 minutinhos só para dar uma cozida por dentro do filé.

Após este tempo, tire o papel alumínio, coloque umas bolotas de manteiga e um fio de azeite em cima do filé e deixe-o dourar, dependendo do forno, leva uns 10 minutos ou 15. Fique de olho!

Por dentro ele deve ficar rosado e por fora dourado.

Molho de vinho (4 pessoas)

400 ml de vinho tinto seco

1/2 cebola cortada em cubos

1 colher de sopa de manteiga

1 colher de sopa de açúcar

1/2 pau de canela

1 colher de chá de maisena, dissolvida em 1 colher de sopa de água

Esquente a manteiga, refogue a cebola, acrescente o vinho, a canela, e o açúcar e esquente até ferver. Baixe o fogo e cozinhe o molho por 15 minutos mexendo de vez em quando com um fuet. Coe e volte a panela por mais 2 minutinhos. Fica super cremoso! Sirva com o filé.

O arroz de beterraba eu comprei pronto, não lembro a marca. Então, fiz como um arroz comum e acrescentei ao final, 1/2 colher de sopa de manteiga comum e 1 colher de sopa de parmesão ralado na hora, só para dar uma consistência diferente.

Chic! Très bien!

Baiser! (Hoje tô me achando a francesa, depois conto o porquê)

 
 

Arroz de Carreteiro Colorido

O final de semana foi produtivo aqui em casa, a cozinha esteve a todo vapor, finalmente consegui fazer mais de um prato, e estranhamente, nenhum dele era doce.

Para melhorar, embora não tenha nada a ver, consegui correr e caminhar com os cachorros. Como a correria tem sido grande nem os meus maiores hobbyes estavam sendo feitos.

Faz bastante tempo que quero testar esta receita, comum nos estados sulistas, o que significa que tem lugar cativo aqui em Brasília. Não sei se vocês sabem, mas aqui a coisa mais comum aos sábados e domingos é reunir a família e amigos para fazer um churrasco. Ás vezes tenho a sensação que fazermos mais churrasco do que os gaúchos. E aí, o que sobra vira arroz carreteiro. Eu não usei sobras, usei um belo pedaço de charque traseiro. Achamos que ficou boa para a  primeira vez, mas, claro, vou fazer pequenas alterações da próxima vez, que já estão registradas na receita abaixo.

Comece assim, deixe  500 g. de charque, cortada em pedaços grandes, de molho de um dia para o outro, trocando a água umas três vezes. Coloque-a numa panela de pressão com 4 xícaras de água, 1 folha de louro e 1 cenoura descascada e cortada em rodelas grandes, por 25 minutos, depois de apitar. Retire a carne e reserve a água e a cenoura. Despreze o louro.

Pique em pedaços pequenos: 1 cebola grande, 2 tomate sem semente e pele, 4 pimentas de cheiro, 6 colheres de sopa de cebolinha, 3 dentes de alho e 100 g de bacon.

Leve a uma panela, de fundo grosso preferencialmente, 2 colheres de sopa de azeite e 1 de manteiga, quando estiver quente, frite o bacon até dourar, acrescente a cebola, o alho e os tomates e deixe por 5 minutos fritando. Inclua a carne e frite mais um pouco, (neste momento na próxima vez acrescentarei 1 ou 2 linguiças calabresa cortadas em rodelas, e depois na metade, e fritaria junto com a carne), coloque 2 xícaras de arroz parborizado se quiser um carreteiro mais sequinho, e se quiser mais molhadinho, faça com o cateto ou agulhinha que tem mais amido. Refogue. Acrescente o caldo reservado que deve estar super quente e mais um pouco de água quente até perfazer 5 xícaras.

Deixe cozinhar em fogo baixo com a tampa semi-aberta até o grão ficar macio, mas ainda tenha um pouquinho de água. Desligue o fogo e acrescente a cebolinha e a pimenta de cheiro e 1 colher de sopa de azeite para dar um “brilhinho”, e, se você achar por bem, dê uma desfiada na carne que estará desmanchando e uma mexidinha no arroz.

Porque colorido? Porque os tomates, a cebolinha e a pimenta dão uma corzinha simpática. Além disto, servi com uma bela colher de sopa de geléia de pimenta por cima para dar um “up” e contrastrar.

Bem gostoso. Matei a vontade e tô aqui levinha (não o peso, o espirito). Ah, como para nós cozinheiros de plantão, ir para a cozinha é terapêutico!  Adoro!

E já que falei deles por aqui, e para que vocês não se esqueçam, seguem umas fotos que tiramos dos cachorrinhos da casa, depois e durante o passeio. Olhem que lindinhos…

Super Mike Franjinha

Fôfa Bebel!

 

Tags:

Quiche de tomate seco e manjericão

 
 

 
Receitas que adoro e que podemos sempre variar os recheios são as tortas e quiches. Qualquer coisa pode ser utilizada para deixá-las de cara nova.
 
Para esta quiche usei o tomate seco e o manjericão fresco.
 
Esta massa fica macia e derrete na boca. Pode ficar na geladeira envolvida em filme plástico por até 3 dias. O creme é macio e suave, fica uma verdadeira delícia.
 
A quiche francesa é tradicionalmente feita com o queijo ementhal, mas usei o gruière, que é primo dele, e uma pequena parte de mussarela, e a diferença no sabor é mínima. O que faz muita diferença é a qualidade do queijo e serví-la quente ou morna.
 
Vamos lá, é uma entrada ou prato para o lanche fina e saborosa.
 
Bj grande a todos.
 
Receita
 
 
 
Massa
 
250 g de farinha de trigo
125g de manteiga
1 pitada de sal
1 pitada de açúcar
1 gema sem película e batida
80 ml de água
 
Despejar a farinha em uma mesa ou em recipiente grande. Fazer uma cova no centro e lá colocar a manteiga, o sal, a gema e o açúcar. Trabalhar somente com as ponta dos dedos. Adicionar a água aos poucos até a massa ficar macia. Embrulhar em filme plástico e deixar crescer por 30 minuto na geladeira.
Abrir sobre uma fôrma redonda (22 cm) deixando a massa bem fininha. Furar com um garfo.
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC para firmar um pouco. Leva uns 5 minutos.
 
Recheio
 
200g de queijo mussarela, ementhal ou gruiére ralados ou em pedaços pequenos
6 ovos
400g de creme de leite
sal e pimenta do reino à gosto
1 colher de café de noz-moscada ou à gosto
100g de tomate seco
1/2 xícara da manjericão picado (só as folhas)
 
Bater os ovos inteiros, adicionar o creme de leite e os temperos e mexer até ficar homogêneo.
 
A montagem é sempre assim: massa pré-assada, queijo, depois o sabor, neste caso o tomate seco e o manjericão e depois a mistura de ovos, creme e temperos.
 
Levar ao forno pré-aquecido e assar por 45 minutos aproximadamente em 180ºC.
 
Servir quente.
 
 
35 Comentários

Publicado por em 08/06/2009 em banquetes, lanchinhos, queijo, tomates

 

Pão ao curry com recheio de tomate seco e salsicha

 
Como também sou filha de Deus e tiro férias, aviso a meus amigos, leitores e queridos blogueiros que o Banquetes e Lanchinhos entrará em recesso por alguns dias.
 
Voltarei com novidades, lugares lindos, pratos típicos e até receitas, se conseguir me comunicar em español com os chilenos.  Olha que estudei alguns anos da língua e tenho até diploma de conclusão do curso, massss, nossos amigos de língua espanhola nem sempre têm paciência de ouvir o meu sotaque brasileiro e meus segundos de pensamento para lembrar as palavras vistas há 3, 4 anos atrás, além disto, já soube que eles gostam tanto de nós que querem aprender nossa língua. Então, vamo que vamo. Na volta conto tudo…
 
Deixo aqui para vocês uma receita de despedida para fechar com chave de ouro este ciclo de trabalho, corre-corre e muita comida.
 
Um pão de curry com recheio de tomate seco e salsicha, de comer ajoelhada, da Si do blog Chocolatria (só para variar).
 
Aviso que foi meu primeiro pão de sovar, sem usar a MFP. Sempre falei que pão não era muito a minha praia porque exige paciência (qualidade que não tenho, se bem que na cozinha sou chegada em coisas trabalhosas. Bem, hobby é hobby…), aquela coisa de deixar crescer e tal. Que nada, foi tranquilo e ficou maravilhoso, sem defeitos, a massa é ótima, levinha e desmancha na boca, o recheio combina perfeitamente com o gosto discreto, mas importante do curry. Fiz algumas adaptações e já coloco a receita com elas.
 
Preciso dizer de novo? Façam!!!!
 
 
 
 
Curry Hot Dog com Pasta de Tomate Seco
 
250 g de f. de trigo e cerca de 100 g para dar o ponto
5 g de fermento biológico seco instantâneo (meio pacote)
2 colheres de sopa de açúcar
180 ml de leite morno
60 ml de óleo
1 colher de chá de sal
1 ovo médio
3 colheres de chá de curry ou a gosto
1 gema batida para pincelar
Gergelim preto para salpicar
 
Recheio:
 
6 salsichas cortadas ao meio, ou 12 mini salsichas,usei a de frango
Cerca de 200g de tomates secos processados (bati no liquidificador com 4 colheres de sopa de água) para proporcionar cremosidade
 
Numa tigela junte: o fermento, açúcar, ovos, leite morno e óleo. Misture bem. Aos poucos adicione os 250 g de farinha, misture o restante da farinha até soltar das mãos. Sove por uns 5 a 8 minutos (sovei por 10 minutos).
Cubra com filme plástico (ou pano) e deixe crescer por 1 hora ou até dobrar de tamanho.
 
Separe 12 bolinhas, jogue farinha na pedra ou na forma, nivele com a mão, passe um rolo e deixe uma bola achatada de tamanho pequeno. Passe o creme de tomate, coloque metade da salsicha e feche dobrando as pontas para dentro.
 
Deixe crescer por mais 1 hora. Pincele com a gema e polvilhe o gergelim.
 
Pré-aqueça o forno em 220º por 10 minutos, asse os pães por mais 10 minutos, abaixe o forno para 180º.
 
Bj muito grande a todos e até a volta.
 
Téia.
 
25 Comentários

Publicado por em 27/02/2009 em cozinha amiga, pães, salgado, tomates

 

Macarrão com Molho de Tomate Cereja com Bacon, em Cama de Espinafre e Cobertura de Ricota

Eu adoro, macarrão, e já fiz muuitas festas, reuniões e jantares informais com diversos tipos de macarrão e molhos.

Escolhi, este molho, fácil, rápido e super colorido para participar do desafio mensal do blog Quattro Ragazze Brasiliane nella Cocina Italiana, que tem por tema a pasta.

O bacon combina perfeitamente com o tomate cereja que é mais delicado e menos ácido que o italiano, o vinho perfuma tudo, o espinafre enriquece e a ricota dá uma textura diferente.

O colorido do prato, é, também, uma homenagem a bandeira italiana com suas cores lindas: verde, vermelha e branca, ao povo e a culinária maravilhosa deste tão único país.

Ingredientes (4 pessoas)

500g de massa
2 caixinhas de tomates cereja sem pele
1 caixinha de bacon em fatias, picado fino (+ ou – 200g)
1 xícara de vinho tinto
1 cebola picada
1 colher de sopa de manteiga
1 fio de azeite
1 tablete de caldo de bacon ou carne
1 colher de sobremesa de açúcar

pimenta-do-reino e sal a gosto

1 maço de espinafre cozido no vapor sem os talos e salgado a gosto

8 colheres de sopa de ricota com sal esmigallhada

Frite a cebola na manteiga e no azeite até dourar, acrescente o bacon até fritar. Junte o vinho e deixe por 2 minutos, acrescente os tomates, o caldo dissolvido em um pouco de água quente, o açúcar, o sal e a pimenta. Deixe no fogo por um 15 minutos em fogo baixo, ou até o molho encorpar.

Cozinhe a massa em 2 litros de água. Escorra.
Jogue o molho quente por cima, o espinafre cozido e por último a ricota.Cozinhe a massa em 2 litros de água. Escorra. Jogue o molho quente por cima, o espinafre cozido e por último a ricota.

Que bello!
Bon Apetito!!!!!!!!